ÚLTIMA HORA

Polícia tem cinco suspeitos pelo sumiço de Nicolas e espera resolver tudo até quinta

Publicado em 07 de junho de 2011 às 16h57
Atualizado em 07 de junho de 2011 às 16h57

Subiu para cinco o número de suspeitos do desaparecimento do menino Nicolas, de 4 anos, em Catiguá. O garoto foi visto pela última vez no sábado, 28 de maio, brincando no quintal de casa, que fica na zona rural do município. A Polícia Civil espera resolver o caso até a próxima quinta-feira.

Ontem, o delegado responsável pelo caso, Hélio Bolzani, descartou as hipóteses de a criança ter sido sequestrada por algum caminhoneiro na rodovia Washington Luís (SP-310), que fica a cerca de 300 metros da casa de Nicolas, ou que o garoto tenha se perdido em algum canavial da redondeza.

“Temos elementos fortes para acreditar na hipótese de crime passional”, disse o delegado, sem dar detalhes – segundo ele, isso atrapalharia as investigações.

O principal suspeito é um vendedor de roupas que fornecia peças de lingerie para a mãe de Nicolas revender. Ambos teriam tido uma discussão na noite de sexta-feira, dia 27, véspera do sumiço do garoto. Segundo o delegado, na tarde de sábado, horas após o desaparecimento de Nicolas, o suspeito foi visto com uma criança parecida com o menino. “Essa é nossa principal linha de investigação”, disse. As quatro outras pessoas, diz o delegado, seriam cúmplices dele no suposto sequestro.

O suspeito já foi ouvido pelo delegado duas vezes, e em ambas negou envolvimento no episódio. Ele alega estar na casa de uma amiga durante todo o sábado, mas a versão não convenceu o delegado. Bolzani espera encontrar o menino vivo. “Nunca duvidei disso.”

Esperança

A mãe de Nicolas, Sibrian Fuzaro Mori, 29 anos, mantém a esperança de encontrar o filho vivo. “Sei que vou encontrá-lo bem, eu sinto”, diz. Católica, ela diz que todos os dias pela manhã reza pelo filho junto com os pais dela e o marido. “Cada dia que passa sem notícia dele aumenta o nosso sofrimento”, afirma a mãe, que mesmo assim, durante a entrevista, não demonstrou emoção.

Desde o sumiço do filho, Sibrian diz ter dormido pouco, mas, durante o sono, afirma ter sonhado com Nicolas. “Eu vejo ele bem, sorrindo, mas tento saber onde ele está e não consigo ver, no sonho.” A mãe disse que, desde o desaparecimento da criança, nunca recebeu nenhum contato de supostos sequestradores. “Pode ser que alguém pegou ele e agora, com medo da repercussão do caso, esteja com medo de devolver meu filho.” (Diarioweb)

***


* Fique à vontade para dar a sua opinião, mas atenção: se ele não aparecer no mesmo dia é porque, com certeza, você não leu a nossa política de comentários. E se o seu email for falso, também não aparecerá. No momento, está sob moderação.

Assunto(s):

Leia também:

1 comentário

  1. maria alice rossato ferro disse:

    Tenho visto varios sequestros com adoções ilegais, e o erro no Brasil é que o impresso chamado declaração de nascido vivos ficam nos hospitais, e o Ministério da Saúde recomenda que qualquer funcionário do hospital preencha a ficha, e portanto quando some um impresso destes e este pode cair nas mãos de sequestradores, o caminho da adoção ilegal fica livre, pois o cartório não confere os nascimentos com os hospitais, aqui em Ribeirão Preto encabecei junto com a Promotoria de justiça e somente o médico ou obstétra que assistiu ao parto pode preencher a Decl. de Nasc. vivos. Minha sugestão peça a policia ou familia fazer um levantamento nos cartórios de registros de nascimentos com atraso e verifiquem junto aos hospitais e para os nascimentos em domicilios verifique na secretarias de saude se tem visitas as familias investigue se a mãe amamenta e outras pistas como prénatal das mesmas. Ok?!! Boa sorte, coloque nas mãos de Deus indicando o caminho certo. Maria Alice R. Ferro (ENFERMEIRA RESP. PELA DECLARAÇÃO DE NASCIDOS VIVOS NO MUNICIPIO DE R. PRETO)

Faça um comentário

Website is Protected by WordPress Protection from eDarpan.com.